Estrategia e Itinerário

ESTRATÉGIA E ITINERÁRIO FORMATIVO 

O desafio de alcançar a base sindical, Federações, sindicatos e pólos regionais, e comunidades rurais, fortalecendo a luta dos trabalhadores e trabalhadoras rurais e atribuindo maior qualidade as ações pela implementação do PADRSS, motivou a idealização do Itinerário Formativo[1] e a opção pela Multiplicação Criativa[2]. O Itinerário se compõe de quatro momentos interrelacionados:

  • Curso de Nacional de Formação em Ação Sindical e Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário - DRSS, desenvolvido em dois módulos de 12 dias cada, com atividades intermódulos; 
  • Cursos Regionais de três módulos de 7 dias cada, com Oficinas de autoformação de 3 dias e atividade intermódulo; 
  • Cursos Estaduais de três módulos com 5 dias cada, e Oficinas de autoformação entre os módulos e atividade intermódulo; e 
  • Grupos de Estudos Sindicais – GES. 

Ambos os Cursos são estruturados a partir do Eixo: Ação Sindical e DRSS, que agrega um conjunto de temáticas, orientados pelos referenciais pedagógicos e metodológicos:Política Nacional de Formação (PNF), referencial político-pedagógico e dispositivo de articulação entre teoria e prática em perspectivas coerentes; Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (PADRSS), que questiona o projeto neoliberal de desenvolvimento vigente – “conservador, excludente e concentrador” que tem acumulado “problemas sociais, econômicos e ambientais para o país”; e o Projeto Político Pedagógico (PPP) inspirado pelos fundamentos da Educação Popular, que busca favorecer a “emancipação do ser humano” e uma metodologia de construção coletiva de conhecimentos.

Os momentos (Nacional e Regional) guardam fortes características de formação de formadores/as, preparando o passo seguinte do Itinerário que a Multiplicação Criativa nos espaços de militância/atuação dos/as participantes. 

Os GES são parte da estratégia de multiplicação criativa, constituídos e animados pelas pessoas que vivenciam o processo formativo na ENFOC. Os GES, diferentemente dos Cursos, não tem um tempo definido para ser finalizado, pois sua dinâmica é estabelecida a partir da agenda e demandas locais. Sua função é “estudar” sobre a “vida do Movimento Sindical e da comunidade”, visando incidir sobre as lutas, as conquistas, as pautas, as demandas dos trabalhadores e trabalhadoras do campo, as políticas macro, o projeto político da classe trabalhadora e o projeto do movimento sindical de trabalhadores e trabalhadoras rurais – o PADRSS. Portanto sua intensidade, e diversidade de reuniões e demanda depende da dinâmica que a “vida do MSTTR e da comunidade” e a capacidade das pessoas/lideranças, que a constitui, lhe impor. 

 

ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA 

A partir dos referenciais pedagógicos e metodológicos – PNF, PADRSS e PPP, são construídos os eixos temáticos e pedagógicos, as Unidades Temáticas e Integradoras que estabelecem as interconexões entre os conteúdos e as abordagens, detalhadas nas Matrizes Pedagógicas. 

As Unidades Temáticas articulam reflexões sobre as múltiplas dimensões de campo, sujeito e identidade. Nos momentos em que uma unidade adquire centralidade, as demais constroem pontes para facilitar o entendimento dos conteúdos apoiadas pelos diálogos pedagógicos, pelas dinâmicas de modo a estimular a leitura, a pesquisa, a reflexão crítica e a construção coletiva do conhecimento. 

Os Eixos pedagógicos e Temáticos trazem aspectos da história, antiga mais recente explicitando as contradições e desafios, os sujeitos da luta, as lutas e as conquistas em uma perspectiva crítica. As atuais pautas e demandas, a especificidade, diversidade e os desafios da luta contemporânea. 

Os eixos são: 

·         Memória e Identidade – consiste na valorização da história refletida a partir da ótica dos trabalhadores e trabalhadoras, em contraponto a história oficial, que sustenta uma visão hegemônica, negando da história, o protagonismo da classe trabalhadoraA dimensão da memória tida como fio da história, permite re-visitar experiências, vivências e culturas que ajudam a construção da identidade coletiva e de um novo jeito de se apropriar da história, apoiando na criticidade como pedagógica que permite a construção de uma nova sociabilidade. A dimensão da memória permite re-visitar experiências, vivências, épocas passadas, auxiliando no entendimento sobre a história a partir da visão da classe trabalhadora. 

·         Pedagogia para uma Nova Sociabilidade – instrumental pedagógico emancipador, faz a crítica a concepção hegemônica de educação, que leva à reprodução do preconceito e naturalização das desigualdades, especialmente as étnico-raciais, regionais, de gênero e geração. Estimula a apropriação das raízes identitárias da classe trabalhadora. Retoma a discussão sobre utopia e reflete sobre a construção de uma nova hegemonia da coletividade e da luta por um mundo mais humanizado, mas justo e mais democrático.

·         Ação Sindical e Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – consiste resgatar, avaliar, reorientar e fortalecer coletiva e criteriosamente, as práticas e as lutas sindicais, as conquistas e o projeto político do MSTTR, explicitando as contradições, os desafios, as possíveis as saídas e atribuindo maior sentido a corresponsabilização (militância e institucional) para ressignificar as práticas e as lutas por uma sociedade justa, democrática e solidária. 

 

As Unidades Temáticas são:

A Unidade Temática I: Formação Social – Estado Sociedade e Ideologia e Projetos de Desenvolvimento em disputa. 

1. As relações sociais e de produção que foram se constituindo ao longo dos tempos, destacando aspectos históricos, culturais, econômicos, sociais e as influencias na formação da sociedade contemporânea. 

2. Formação da sociedade e do Estado no Brasil, com recortes e ênfases que permitam conhecer a origem das desigualdades de gênero, de classe e de raça, bem como os mecanismos de reprodução das mesmas em nossa sociedade. 

3. Aparelhos ideológicos do Estado e a ação sindical na luta “contra-hegemônica” 

4. Estado e Sociedade no Brasil, movimentos sociais na construção de políticas públicas, programas e projetos indutores de mudanças. 

 

A Unidade Temática II: “Vida Sindical” – História, Concepção e Prática 

1. Origem do sindicalismo no Brasil e no mundo, lutas, conquistas e resistências. 

2. Origem das organizações de trabalhadores rurais no Brasil - as lutas pré-sindicais libertárias, o golpe militar, os conflitos de classe e as primeiras organizações sindicais no campo, conflitos agrários e as lutas pela redemocratização do Brasil. 

3. Reflexão sobre as concepções sindicais que marcaram a trajetória a MSTTR e as influências à prática sindical hoje, desde as grandes lutas até a redemocratização do estado brasileiro. 

4. As Centrais sindicais e os desafios atuais 

5. Desafios e perspectiva da luta sindical no Brasil e na América Latina. 

6. A organização das mulheres, a história de lutas pela democratização dos espaços de poder e suas especificidades.          

 

A Unidade Temática III: Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – em estreito diálogo com as unidades anteriores, propõe-se a:

1. Aprofundar as reflexões sobre os projetos de desenvolvimento em disputa, suas diferenciações, ênfases e finalidade política estrutural.

2. Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável Solidário (PADRSS), as dinâmicas de desenvolvimento e organizativas, a nova ruralidade, a diversidade de sujeitos do campo, multiculturalidade. 

3. O campo na atualidade – os novos sujeitos e os desafios para a luta articulada 

4. A perspectiva da luta contra-hegemônica no campo e a distinção entre um projeto de desenvolvimento excludente e um projeto estruturador de um campo com gente. 

 



[1] É o caminho/percurso seqüenciado que leva a estratégia pedagógica da Enfoc para lugares diversos.

 

[2] Multiplicação criativa é a recriação do curso de formação da Enfoc nos âmbitos estaduais, municipais, microrregionais e a constituição de Grupos de Estudos Sindicais – GES nas comunidades. Na recriação do curso as equipes seguem com a mesmo concepção e mesmos eixos gerais, acrescentando, aos conteúdos, temas demandados pelos trabalhadores/as a partir de cada realidade.

Menu Administrativo